Semana da Mulher Negra tem atividades da Igualdade Racial no calçadão da Dom Pedro

0
286

 

Aberta na terça-feira (25), com a inauguração do Centro de Referência da Igualdade Racial, a 11ª. Semana da Mulher Negra Latinoamericana e Caribenha – “Trajetória, afetividade e liderança” teve sequência na quarta-feira (26), das 09h às 13h, no Calçadão da rua Dom Pedro II – Centro, com a Oficina de Turbantes, painel “Grandes Mulheres Negras Brasileiras” e ações para a saúde da mulher.

 

semana-da-mulher-negra

 

A assistente social da subsecretaria da Igualdade Racial, Mabel Assis, disse que essa realização é muito significativa, por ampliar a visibilidade quanto à data. “Este evento na tradicional rua do comércio de Guarulhos, em bela e ensolarada manhã, traz mais luz sobre a vida de mulheres negras que transformaram a História do Brasil”, afirmou.

 

O Dia Internacional da Mulher Negra Latinoamericana e Caribenha é celebrado anualmente em 25 de julho e teve origem em 1992, na ocasião em que mais de 300 mulheres negras de diversos países reuniram-se na República Dominicana para debater as suas condições de vida e buscar soluções para os grandes desafios enfrentados por elas.

 

No Brasil, a data também faz referência a Tereza de Benguela, líder quilombola que resistiu bravamente à escravidão por duas décadas, liderando levantes de negros e índios em busca da liberdade.

 

Atividades

 

A Oficina de Turbantes foi coordenada pela empresária guarulhense Denise Abrantes, que explanou sobre a origem do turbante e como preparar o tecido para o seu uso. “Na África, essa peça representa uma coroa e é símbolo de resistência e de luta pelos direitos dos negros na sociedade. Não existe jeito certo ou errado de fazer o turbante, mas a forma mais adequada, de acordo com o tipo de cabelo da pessoa”, disse.

Funcionários da Secretaria de Saúde e do Serviço de Atenção Especializada – SAE atuaram no evento na testagem rápida de hepatite C. A assistente social Alice Aparecida dos Santos disse que o SAE realiza esse trabalho itinerante. “Na Feira Cultural da Diversidade, realizada no dia 8, foram realizados cerca de 120 testes de HIV e de sífilis; para esta atividade da Igualdade Racial, a equipe trouxe 200 kits para atendimento aos interessados”, informou. Às 10h30, havia 15 pessoas aguardando sentadas em cadeiras colocadas em frente à tenda; todas responderam a questionário e receberam senha numerada, por ordem de chegada.

 

Acompanhadas pela educadora social Karine Caetano, as adolescentes Daniela, Juliana e Rafaela, do Núcleo Batuíra – Jardim Cumbica, participaram do evento, acompanhadas pela educadora social Karine Caetano. “O nosso projeto visa à inserção dos jovens de 13 a 18 anos no mercado de trabalho. As comunidades recebem a nossa missão com pleno respeito”, afirmou.

 

A 11ª Semana da Mulher Negra Latinoamericana e Caribenha, em Guarulhos, será encerrada nesta sexta-feira (28), às 14h, no auditório da Secel (rua Claudino Barbosa, 313 – 5º andar – Macedo) com roda de conversa, cujo tema será “Mulher Negra no Mundo do Trabalho”.