Reflexão marca o Dia do Assistente Social na Prefeitura

0
343

 

Um público de cerca de 100 assistentes sociais da Prefeitura, das mais diversas secretarias, participou nesta segunda-feira (15) de evento comemorativo do Dia do Assistente Social no Salão de Artes do Adamastor Centro. Aberta pelo secretário de Desenvolvimento e Assistência Social (SDAS), Arão dos Santos Silva, a celebração contou com a palestra “Os desafios da profissão frente ao saber profissional e o poder institucional, mediação e trabalho em equipe”, ministrada pelo coordenador do curso de Serviço Social da Universidade Guarulhos (UnG), professor Adriano de Oliveira.

 

Parabenizando todos os profissionais de Assistência Social, o secretário Arão destacou a importância da atividade que exercem. “Os assistentes sociais são essenciais para implantação de políticas sociais para o avanço da cidade, do país. São eles que apresentam as propostas e idéias para o setor público desenvolver as políticas para as pessoas em situação de vulnerabilidade”, disse.

A secretária-adjunta da SDAS, Claudia Papotto, falou que o dia é para celebrar os avanços da categoria e há muito a avançar. Ela considera uma profissão especial. “Costumamos falar que é um profissional que não escolhe a profissão, é escolhido por ela. Além de ter a técnica para trabalhar, tem que ter muito amor ao que faz”, afirmou Claudia.

Já o comprometimento do assistente social com o respeito e a dignidade dos indivíduos foi lembrado pela diretora de Gestão Social da SDAS, a assistente social Patrícia Lins. “Os assistentes sociais são profissionais que vão aos lugares mais vulneráveis, lugares que outros não conseguem chegar. E lá detectam o que as pessoas precisam, colhem estas demandas. Eles trabalham com garra, colhendo as necessidades da sociedade”, disse.

 

Atividades

Uma dinâmica sobre o abraço foi proposta pela equipe da Escola de Administração Pública Municipal – Esap, para integrar a plateia que seguia orientações para abraçar, sorrir, apertar a mão e bater palmas, entre outros gestos, interagindo com a pessoa ao lado.

O professor fez um breve histórico da profissão, que surgiu há pouco mais de oito décadas com o trabalho realizado pelas mulheres católicas de assistencialismo. Ele também falou das transformações ocorridas ao longo do tempo, como a regulamentação da atividade e ainda dos desafios da profissão.

O evento contou com a presença do secretário de Saúde, José Sérgio Iglesias Filho, secretária-adjunta de Saúde, Graciane Figueiredo, diretora do Fundo Social de Solidariedade, Regina de Luca, secretário-adjunto de Assuntos para Segurança Pública, Joel Bomfim, subsecretária de Políticas para as Mulheres, Vera Souza, diretora de Convênios da Diretoria Regional do Departamento Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (DRAS, uma unidade regional da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social), Regina Célia Duarte e representantes do Legislativo Municipal.