Rachaduras em condomínio causam medo

0
636

 

Os moradores do condomínio Venâncio Aires A, no Parque Uirapuru (Região Cumbica), estão assustados com as grandes rachaduras que surgiram no estacionamento. A população local reivindica que a Caixa Econômica Federal (CEF), banco pelo qual os apartamentos foram financiados, providencie um muro de arrimo por toda a extensão do condomínio.

 

Segundo o enfermeiro Nelson Antonio, as rachaduras começaram a aparecer há aproximadamente três anos. “Mas a situação se agravou muito há um mês e a Caixa Econômica está construindo o muro de contenção apenas em um pequeno trecho”, reclamou Antonio.

 

A dona de casa Noemia Martins Urbano teme que a morosidade em resolver o problema seja uma manobra para que se finde o prazo de compromisso da CEF com os moradores.

 

condominio-guarulhos

Risco – Moradores temem que parte do terreno do condomínio ceda (Foto: Silvio Cesar)

 

No caso da costureira Maria Rita Gomes também surgiram rachaduras no entorno de sua janela. “É preciso que avaliem as condições da estrutura”, disse.

 

Todos os moradores se queixam ainda da empresa administradora, Mark In São Paulo, que faz as tratativas com a Caixa Econômica Federal e não estaria contribuindo para uma rápida solução.

 

Extensão do muro será avaliada

 

A CEF informou que avalia a possibilidade de o muro chegar à parte dianteira. Quanto às rachaduras no apartamento de Maria Rita, disse que um engenheiro fará vistoria, mas não mencionou prazos.

 

Já a administradora informou que a CEF foi notificada em fevereiro sobre o aumento das rachaduras. Medidas paliativas foram tomadas após avaliação de engenheiros. A Mark In repassou à Caixa o pedido da Prefeitura do projeto das obras. O parecer da CEF será apresentado pela Mark In, no dia 12, aos moradores.

 

Fonte: Folha Metropolitana