Prefeitura não renova contrato e crianças especiais estão sem estudar

0
492

 

A Prefeitura de Guarulhos não renovou o contrato com a Escola de Educação Especial São Judas, e com isso, 16 crianças com necessidades especiais estão sem estudar. As aulas começaram no último dia 2, e até o momento, as crianças não retornaram à sala de aula.

 

criancas-especiais-de-guarulhos
Foto: Ivanildo Porto

 

O contrato da escola com a prefeitura começou durante a gestão do ex-prefeito Sebastião Almeida, quando diversas mães conseguiram na Justiça o direito de colocar os filhos com deficiência intelectual em uma escola especial com o apoio financeiro da prefeitura.

A gestão mudou, e segundo a diretora da São Judas, Flávia Simão, o primeiro objetivo foi entrar em contato com o novo prefeito. “O contrato sempre é renovado uma vez por ano, mas fomos informados que o novo governo estava revendo os contratos”, afirmou Simão.

 

Depois de várias tentativas de reunião com o poder público, a prefeitura informou à escola que não possuía um posicionamento sobre a situação. Segundo a diretora, os pais das crianças foram informados que o custo é muito alto, pois cada aluno custaria em torno de R$ 6 mil, mas a escola revelou que mesmo com o aumento anual, o preço está em R$ 3.635.

 

“A gente busca dar uma qualidade de vida melhor para as nossas crianças, e a prefeitura não permite isso”, disse a professora Maria Aparecida. Grande parte das 16 crianças possui deficiências múltiplas, como a paralisia cerebral, síndrome de Down e autismo, necessitando de um atendimento especial exclusivo.

 

A prefeitura informou ainda que está dialogando com a Defensoria Pública do Estado de São Paulo, com o objetivo de mostrar que a escola municipal oferece condições para realizar o atendimento dos alunos com qualidade, e explicando que atende atualmente no município “cerca de 116 mil alunos, e destes, 1.298 apresentam algum tipo de deficiência, sendo 334 mentais e 168 autistas, cujas características representam o público alvo do questionamento”.

Além disso, a Secretaria de Educação afirmou que 500 alunos com deficiência já são atendidos diariamente pelos profissionais da rede municipal de ensino, por meio de professores, terapeutas ocupacionais, psicólogos e fonoaudiólogos.

 

Reportagem: Ulisses Carvalho

 

Fonte: Guarulhos Hoje