Orquidário de Guarulhos

0
917

 

A Prefeitura de Guarulhos entregou na manhã desta quinta-feira, dia 18, o Orquidário Público de Guarulhos. O local ficará aberto diariamente no maior parque da cidade, o Bosque Maia (avenida Papa João XXIII, nº 219, no Maia), e contará com uma coleção inicial de 60 espécies e cerca de 1.200 plantas. “Esse é o segundo maior orquidário do Estado com espécies nativas, ficando atrás apenas do Jardim Botânico de São Paulo”, afirmou o prefeito Sebastião Almeida.

 

 

Ele lembrou que as plantas são originárias da Serra da Cantareira e foram resgatadas da área onde está sendo feita a obra do trecho Norte do Almeida e o secretário de Meio Ambiente, Luiz Zanetta Rodoanel. Outras foram resultantes da duplicação de espécies do Instituto de Botânica do Estado de São Paulo pela Curadoria do Orquidário Público do Estado. “Esse orquidário foi gestado no início das discussões sobre trecho Norte do Rodoanel, que é uma obra importante para São Paulo, mas que teria um impacto muito grande sobre algumas espécies da região, como as orquídeas”, disse Almeida.

 

Ao todo, o Orquidário acolherá cerca de 200 espécies, entre plantas provenientes da Serra da Cantareira, variedades exóticas de outros países, estados e biomas, como também híbridas, resultantes de cruzamentos com outras orquídeas.

 

“Haverá um processo permanente de ampliação das plantas no Orquidário. Toda hora teremos espécies novas aqui dentro”, completou o prefeito, ao lado do secretário Municipal de Meio Ambiente, Luiz Henrique Zanetta.

 

Almeida também lembrou que o espaço foi construído obedecendo a conceito de edificação sustentável, utilizando material reutilizável. Ele citou uma parte do piso, que foi retirado do antigo Caic Cumbica para a construção do Centro de Educação Unificado (CEU) Cumbica. “A equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente está de parabéns, porque teve muita sensibilidade na hora de idealizar o ambiente com materiais que às vezes ficam jogados e sem serventia”.

 

O orquidário também terá como missão contribuir para o estudo, pesquisa e preservação da família Orchidaceae, uma das maiores da flora, com cerca de 35 mil espécies diferentes e presente em quase todos os continentes. O espaço ainda tem como objetivo a criação de um banco de germoplasma vegetal (cuja finalidade é conservar o patrimônio genético das plantas), por meio do cultivo fora do seu “habitat”, em programas de micropropagação e reintrodução das espécies.

 

Fonte: Prefeitura de Guarulhos