Maníaco no Presidente Dutra

1
1005

 

Mulheres que passam pela Rua Jeremoabo, no Jardim Presidente Dutra, estão apreensivas com a circulação de um motoqueiro que as aborda no final das madrugadas. A Folha Metropolitana foi informada de dois casos em que o suspeito se aproximou das vítimas e, com o órgão sexual à mostra, as ameaçou de abuso.

 

A Polícia Militar afirmou não ter sido notificada sobre nenhum caso do gênero. A reportagem apurou que, de fato, as vítimas não registraram Boletins de Ocorrência sobre as abordagens.

 

maniaco-presidente-dutra

Vídeo – Suspeito ficou rodeando suposta vítima por quase dez minutos (Foto: Reprodução vídeo)

 

Segundo uma doméstica de 27 anos, que pediu para não ter o nome publicado, o motoqueiro se aproximou quando ela caminhava pela via, por volta das 5h15 do dia 16, indo ao ponto de ônibus para ir trabalhar. O homem pilotava uma Honda Biz preta e usava um capacete branco e também uma blusa de moletom preta, com capuz. “Ele se aproximou se masturbando e falou que, caso eu não fizesse sexo oral nele, eu seria levada para o Lavras, onde ele ia me estuprar”. O homem teria dito ainda que estava armado.

 

A reportagem teve acesso às imagens do sistema de monitoramento com câmeras de uma casa da Rua Jeremoabo. Segundo as imagens, o suspeito ficou rodeando a doméstica por quase dez minutos. Ele desistiu da abordagem após um caminhoneiro se aproximar da vítima para verificar o que estava acontecendo.

 

Um dia após a abordagem da doméstica, uma cozinheira também foi abordada por um motoqueiro com as mesmas características informadas pela doméstica. Ele se aproximou da vítima, com o pênis à mostra. Porém, a mulher conseguiu entrar em uma farmácia, frustrando a ação do criminoso.

 

Supostos usuários de drogas assustam no Centro

 

Uma autônoma, que pediu para não ter a identidade publicada, afirmou ter sido abordada “violentamente” por um suposto dependente químico na Rua Poeta Castro Alves, a dois quarteirões de distância do 1º DP (Região Centro).

 

Segundo a mulher, ela caminhava pela via, por volta das 17h30, quando um homem “alterado” correu atrás dela pedindo a bolsa da autônoma.

 

O comerciante Marcos Fábio de Moraes, que trabalha há dez anos na região,  afirmou que no último ano o número de usuários de drogas aumentou “muito” na área onde ocorreu a abordagem. “Eles começam a se concentrar a partir do final da tarde, mas não são os andarilhos”, disse.

 

Fonte: Folha Metropolitana