Imóvel da Proguaru pode ser vendido

0
496

 

A Prefeitura enviou para a Câmara Municipal o Projeto de Lei (PL) 452/2016, que pretende vender um imóvel da Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A (Prograru), localizado na avenida Papa Pio XII nº 975, bairro Macedo.

 

proguaru-venda

 

A venda do imóvel está avaliada em 17 milhões – o valor poderá mudar até a conclusão da venda. “Tendo em vista as dificuldades financeiras, há algum tempo nos desdobramos para manter a empresa operando de forma satisfatória na execução de obras, manutenção e serviços. No ano de 2015 a situação se agravou em decorrência da crise econômica, acumulando valores que impossibilitam o pagamento aos fornecedores nos prazos contratuais”, relatou o Executivo em PL.

 

A justificativa do projeto, uma declaração bastante clara: levantamento de caixa.

 

Segue reprodução do PL que prevê a venda do imóvel da Proguaru:

 

Dos Gastos

 

A Proguaru conta com cerca de 4.340 funcionários, a despesa total com pessoal (salário, encargos e benefícios) é superior a R$ 140 milhões anuais. A aquisição de insumos, contratação de serviços, equipamentos e pagamento de tributos totalizam a diferença das receitas e pagamento da folha de pessoal, ou seja, da ordem de R$ 40 milhões. Embora o resultado contábil operacional esteja equilibrado, o fluxo de caixa tem sofrido descompassos decorrentes de atraso de pagamento das faturas dos serviços prestados ocasionando acúmulos de contas não pagas nos vencimentos.

 

Conjuntura, perspectivas e proposta para a solução do quadro financeiro

 

Tendo em vista as dificuldades financeiras, há algum tempo nos desdobramos para manter a empresa operando de forma satisfatória na execução de obras, manutenção e serviços. No ano de 2015 a situação se agravou em decorrência da crise econômica, acumulando valores que impossibilitam o pagamento aos fornecedores nos prazos contratuais.

 

As pendências financeiras provocam transtornos e dificuldades em executar os serviços aumentando consideravelmente as falhas no atendimento às demandas programadas e solicitadas diretamente pela população, o que gera um descontentamento. Essa situação acarreta incertezas, aumenta o custo logístico para contornar a escassez e também obriga a diretoria e as gerências a rever continuamente o planejamento.

 

Diante da situação exposta não resta alternativa para a Direção da empresa a não ser propor a venda de um imóvel, gerando o capital de giro necessário, e podendo desta forma restabelecer a saúde financeira para atender com mais eficiência a população de Guarulhos.

 

Outros itens a serem discutidos

 

A Ordem do Dia conta com 63 itens. Mas, como os projetos precisam de parecer das Comissões Permanentes para serem apreciados, apenas 50 devem efetivamente receber votação.

 

Em primeira discussão e votação encontra-se o projeto de Resolução 4066/2015, proposto pelos parlamentares Dr. Laércio Sandes (DEM) e Guti (PSB), que pretende possibilitar a realização de Sessões Ordinárias na Câmara após as 19h.

 

Cita-se em segunda e ultima votação o PL 467/2009, de autoria do vereador Guti (PSB), que tem a intenção de criar um plano de evacuação em caso de acidentes em obras públicas.

 

Já em discussão e votação única deve ser apreciado o relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que averigua as causas de possíveis ineficiências do serviço prestado pela empresa concessionária de energia elétrica de Guarulhos, EDP Bandeirante, em relação à iluminação pública.

 

Fonte: Click Guarulhos