Homem é acusado de enviar conteúdo pornográfico para menina de 12 anos

0
589

 

A mãe Marilene Silva Souza, 37, acusa o vendedor Wladimir Araújo da Silva, 31, de enviar conteúdo pornográfico via aplicativo WhatsApp para a filha de 12 anos. O homem, casado com a prima da garota, mora no bairro de São Mateus, em São Paulo, mas a mãe e filha moram na rua Guararapes, no bairro São Rafael.

 

whatsapp-pedofilia-guarulhos

 

Segundo Marilene, durante as férias escolares, a garota vai para a casa do pai, vizinha a casa da prima, na região de São Mateus. As mensagens no celular da criança começaram no dia 25 de maio, e no dia 26, a mãe foi verificar o celular da filha, quando começou a conversar com o vendedor se passando pela garota e verificou todo o conteúdo pornográfico que ele enviava, além de convites para visitar a residência em São Mateus.

 

“Eram vídeos e mensagens que ele enviava principalmente na parte da noite, e parou somente após eu conversar com ele”, diz a mãe, revelando que o homem tem dois filhos, um a filha de quatro anos e um garoto de um ano.

 

A menina está em estado de choque, não tem vontade de ir para a escola, sente medo e começou a ir ao psicólogo. “Ela só quer ficar no quarto, chora muito e quando questionei se ela chegou a ser abusada por ele durante as férias, ela diz que não”, afirmou a mãe, revelando que todos os vídeos que o homem enviava, dizia estar pensando na garota.

 

Após a situação, Marilene registrou boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher em Guarulhos, e passou a receber ameaças do vendedor. “Após efetuar o boletim, ele passou a me ameaçar, dizendo para a minha filha não ir mais para a casa do pai, e quando fui à delegacia, eles revelaram que o processo de investigação pode durar entre um e três anos”.

 

A reportagem do Jornal Guarulhos Hoje entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), que emitiu uma nota alegando que novos depoimentos serão coletados. “A Polícia Civil informa que o caso está sendo investigado pela Delegacia da Mulher (DDM) de Guarulhos, onde foi registrado com base no Artigo 241A do Estatuto da Criança e do Adolescente, com a natureza oferecer fotografia ou vídeo que contenha pornografia”.

A mãe já entregou um pen drive para a Polícia Civil, com todos os dados da conversa, e foi convidada para comparecer novamente a Delegacia da Mulher nesta sexta-feira (9), às 10h.

 

Reportagem: Ulisses Carvalho

 

Fonte: Guarulhos Hoje