A Coordenadoria de Defesa Civil (CDC) de Guarulhos conta com pluviômetros automáticos, semi-automáticos e um manual, além de estações meteorológicas, que auxiliam no monitoramento e na percepção de riscos de desastres naturais. Esses equipamentos são fundamentais para nortear as ações a serem desenvolvidas em áreas de risco, bem como na prevenção de catástrofes e outras ocorrências.

 

pluviometros-guarulhos
Pluviômetros/ Fotos Fábio N Teixeira

 

Os pluviômetros medem a precipitação de líquidos (chuva) ou sólidos (neve e granizo) durante um determinado tempo e local. A cidade dispõe de 14 pluviômetros. Os automáticos são de responsabilidade do Centro Nacional de Monitoramento de Desastres Naturais (Cemaden), que em conjunto com os municípios cuidam de áreas de risco classificadas como vulneráveis. Os semi-automáticos são monitorados no local da instalação pela CDC. Existe também um pluviômetro manual na sede do órgão municipal.

 

Os equipamentos semi-automáticos fazem parte do projeto “Pluviômetros nas Comunidades”, que tem por objetivo conscientizar as populações que vivem em áreas de risco e provê-las de instrumentos para enfrentamento de eventos adversos.

 

Para o coordenador da Defesa Civil, coronel Waldir Pires, os pluviômetros são equipamentos essenciais, em especial na época de chuva. “Os pluviômetros nos auxiliam muito. Diariamente fazemos a medição desses equipamentos. Estamos com 14 pluviômetros instalados e em funcionamento. Quando assumimos a Defesa Civil eram apenas quatro pluviômetros automáticos e três semi-automáticos, os demais estavam desativados. Eles indicam onde tem o maior índice pluviométrico, onde choveu mais, onde esse solo está encharcado e podem ocorrer deslizamentos. Nós repassamos esses números para o Saae, para a Secretaria de Obras e para outros setores poderem fazer o planejamento. Às vezes não chove na cidade, mas nas bacias, então este índice é primordial pra nós. O Cemaden tem nos dado muito apoio e nos doou boa parte desses equipamentos. A Defesa Civil Estadual também nos dá apoio, por meio do centro de gerenciamento, eles fazem isso 24 horas e nos informam quando e onde estão ocorrendo as chuvas para que possamos agir. Já os nossos da Defesa Civil  também são essenciais para que os equipamentos funcionem da melhor forma possível para o melhor atendimento à população”.

 

Estações meteorológicas

 

O município conta também com três estações meteorológicas, onde são aferidas a direção e velocidades dos ventos, a umidade relativa do ar, as temperaturas máxima e mínima, pressão atmosférica, hora do nascer e por do sol, luas quadrantes e índice pluviométrico (diário, mensal, anual e chuva quantitativa, ou seja, em milímetros por hora).