Festival de talentos encerra 19ª Semana da Pessoa Idosa neste sábado

0
290

 

O Festival de Talentos com danças, cantos e diversas apresentações artísticas encerra a 19ª Semana da Pessoa Idosa “Valorizar a pessoa idosa é valorizar a si mesmo” de Guarulhos neste sábado, dia 23, das 9 às 12 horas, no auditório da Faculdade Eniac. A iniciativa é do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI), em parceria com a Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (SDAS) e apoio da Secretaria de Assuntos Difusos e Subsecretaria de Políticas para o Idoso.

 

Foto: Márcio Lino / PMG

 

Nesta sexta-feira (22), a programação incluiu turismo corporativo à empresa Bauducco com grupo de idosos, seguido do 2º Baile da Terceira Idade, realizado no Lions Clube, sendo que o 1º Baile ocorreu na tarde de quinta-feira (21), na praça central do Shopping Bonsucesso. A animação no Lions Clube ficou a cargo do cantor Cowboy Félix que além de cantar, puxou um trenzinho formado por idosos na pista de dança.

 

Os presentes também participaram de uma aula de samba rock, promovida pela Subsecretaria de Políticas para Juventude, além de contar com moda de viola, comandada pela dupla Vera Bianca e Guaru, e boleros cantados por Márcio José.

 

Para o secretário de Assuntos Difusos, Lameh Smeili, a dança revigora. “Esse baile traz muita alegria e nostalgia, além de revigorar a vida. A luta dos idosos é contínua. Não tem ser humano com mais vigor e apaixonado pela vida do que eles. A luta deles deve ser a de todos nós, porque o jovem de hoje é o idoso de amanhã,” afirmou o gestor, que estava no salão acompanhado do subsecretário de Políticas para os Idosos, Walid Shuqair.

 

Vitalidade        

 

Esbanjando vitalidade e até dançando sozinha, a pensionista Giovanilça Rodrigues da Silva, de 65 anos, riscava o chão do salão com o ex-comissário de bordo, Raimundo Nonato Rodrigues, de 61 anos. Conhecida por Índia e membro da aldeia Canabrava (localizada em Pesqueira/PE), ela teve três AVCs (acidente vascular cerebral), enfarte e foi até operada do coração. “Dançar é a melhor academia do mundo para o idoso. Emagreci 33 quilos, em um ano, indo aos bailes no Centro de Convivência do Idoso (CCI), porque o médico disse que se eu não emagrecesse, iria morrer. Fui dançar. E danço sempre às sextas-feiras”, disse a indígena, que se casou aos 15 anos e é mãe de cinco filhos.

 

Já seu par, Raimundo, é casado, tem dois filhos e dança desde os 13 anos. “Tango, bolero e gafieira. Danço qualquer um deles e nunca aprendi com professor. Adoro dançar e andar a pé. Minha saúde é boa por causa da dança e das caminhadas que faço”, declarou o ex-comissário de bordo.