Estudantes da Universidade de Virgínia voltam à EPG Mauro Roldão

0
483

 

A cada visita ao Brasil, uma explosão de alegria. É nesse clima de extrema agitação que 29 estudantes da Universidade de Virginia, a sudeste dos Estados Unidos, visitaram na última semana a EPG Mauro Roldão, unidade escolar localizada na região dos Pimentas.

 

 

A visita, que vem se repetindo ao longo dos últimos 3 anos, sempre no período do Spring Break, as famosas férias de primavera, é esperada pelos funcionários da escola e pelos alunos com grande ansiedade.

 

Iniciativa da entidade filantrópica Seeds of Hope Brazil, o intercâmbio cultural tem como objetivo o desenvolvimento de atividades de pintura dos muros, revitalização do parque, recreação com os alunos, corte da grama, ação voluntária que contribui com a formação acadêmica dos jovens universitários.

 

Embelezando a escola

 

Emmett Saulnier, de 21 anos, estudante do 4º ano do curso de Negócios e Economia, explica que para além dos trabalhos de revitalização que trazem a beleza de volta à escola, é no contato com as crianças que se encontra a verdadeira magia dessa ação. “Brincamos com as crianças, usamos todos os brinquedos que eles têm, brincamos com massinha, assistimos filmes, pintamos as crianças, as colocamos em nossos ombros, fazemos tudo o que elas querem fazer para ficarem animadas e para podermos ver o sorriso em seus rostos enquanto estão brincando”.

 

E por falar em sorriso, a estudante do 4º ano do curso de Políticas Públicas, Alison Snow, de 21 anos, conta que essa experiência ajuda a construir muitos relacionamentos. “Esta é a minha terceira vez aqui no Brasil e eu sinto como se fizéssemos um tipo de conexão muito especial com as comunidades dessa região”.

 

É a primeira vez que Tess Kamauff, de 22 anos, aluna do 4º ano do curso de Engenharia de Sistemas, visita a EPG Mauro Roldão. Para o futuro profissional da jovem, essa é uma experiência singular. “Para exercer minha profissão, preciso interagir com o maior número de pessoas e culturas diferentes, para que eu possa entender diferentes perspectivas das pessoas, sua vida, seus valores, o que pensam, e assim é muito mais fácil ajudá-las”.

 

De acordo com Roberto Pena, fundador da entidade Seeds od Hope Brazil, a experiência vivenciada na EPG Mauro Roldão ajuda a preparar esses jovens estudantes para atuar também com comunidades carentes americanas. Roberto enfatiza o belíssimo trabalho realizado pela entidade ao redor do mundo. “No trabalho voluntário, a gratificação nunca é imediata; muitas vezes essas sementes levam décadas para semear, principalmente porque envolvem pessoas, e são alcançadas a longo prazo. Amanhã, todo esse carinho será revertido em pessoas mais amorosas, educadas, que pensam e fazem pelo próximo”.

 

Emocionado, o diretor da unidade escolar, Claudio Alves Demétrio, completa que a visita dos jovens universitários é uma importante oportunidade para que os alunos e a equipe escolar possam compartilhar novas experiências. “Recebê-los aqui todos os anos é uma alegria! Eles são muito ativos, ajudam nas tarefas da escola, compartilham experiências e as crianças estão muito encantadas”.