Delegado regional tributário de Guarulhos é investigado

0
472

 

O delegado regional tributário de Guarulhos está sendo investigado pelos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro. De acordo com as investigações, o suspeito acumulou um patrimônio de cerca de R$ 20 milhões, valor incompatível com o seu salário. Também estão sendo averiguados outros dois delegados regionais tributários de São Paulo, dos bairros da Lapa e do Tatuapé, com as mesmas suspeitas.

Uma operação do Grupo Especial de Combate a Delitos Econômicos (Gedec), do Ministério Público do Estado, e da Corregedoria Geral da Administração, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Polícia Civil, apreendeu na manhã de ontem documentos, computadores e dinheiro em espécie nas delegacias, que pertencem à Secretaria da Fazenda de São Paulo.

corrupção-guarulhos

De acordo com a polícia, o crime acontecia quando os agentes procuravam as empresas que deviam o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), para que quitassem as dívidas por um valor inferior e, em troca, recebiam dinheiro de propina. As empresas beneficiadas pelo esquema também estão sendo investigadas.

Os três delegados investigados possuem cerca de 16 empresas registradas em nome de seus familiares ou de laranjas, utilizadas para lavagem do dinheiro de corrupção, e o esquema envolvia, principalmente, compra e venda de imóveis. Foi apreendido R$ 450 mil em dinheiro, 20 mil dólares, além de identificados depósitos de altas quantias em contas bancárias movimentadas pelos delegados e pelas empresas.

As apreensões foram feitas em cumprimento de mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça, e os delegados suspeitos não tiveram os nomes divulgados.

A Secretaria da Fazenda mostrou apoio aos órgãos fiscalizadores, e disse que tem como missão o compromisso com a transparência e colaboração com os órgãos públicos de investigação. Afirmou que cumprirá com seu dever de apurar eventuais desvios funcionais por parte de seus servidores e, se constatadas ilicitudes, aplicar as sanções previstas em lei.

 

Fonte: Guarulhos Hoje