Cuidados especiais garantem sobrevivência de macaquinho órfão no Zoo de Guarulhos

0
515

 

Há pouco mais de sete meses a equipe do Zoológico de Guarulhos tem se revezado para garantir a sobrevivência e o bem-estar de um filhote órfão de bugio resgatado pela Polícia Militar na região do Horto Florestal, zona norte de São Paulo. Fred, como então o primata fora batizado, chegou magrinho, pesando apenas 250 gramas, com hipotermia e os pelos chamuscados como se tivesse escapado de um incêndio ou de um curto-circuito.

 

 

De lá pra cá, uma verdadeira mobilização pela sobrevivência e o bem-estar do bichinho tem mexido com a rotina de trabalho de técnicos, biólogos e veterinários, mesmo após o final do expediente. Como Fred exige atenção constante, inclusive à noite, os funcionários do zoo montaram um esquema de revezamento para levar o bebê para casa, inclusive aos finais de semana, para assim providenciarem, a cada três horas, mamadeiras fresquinhas preparadas com leite especial.

 

“Quando ele não acorda sozinho, temos que chamá-lo pra mamar. Às vezes ele mama apenas 1 ou 2 ml a cada vez, mas é esse cuidado que tem garantido o bom desenvolvimento do animal”, explica Gilberto Nogueira Penido Junior, gerente da Seção Técnica de Biologia e Veterinária do Zoológico de Guarulhos. E o esforço embalado por amor e profissionalismo tem dado ótimos resultados.

 

Dono de uma energia que parece não ter fim, Fred já pesa 1,9 Kg e causa geral quando está solto pela área da administração do zoo. O macaquinho rouba canetas, amassa a papelada, bagunça as mesas de trabalho e adora um colo, ou melhor, um ombro. “Às vezes a gente solta ele numa área fechada e com árvores que temos aqui para ele saber que é um macaco, pois ele deve achar que somos os pais dele”, brinca Gilberto que complementa: “é quase certo que ele não poderá ser devolvido à natureza, pois certamente seria rechaçado pelos bandos selvagens e não conseguiria sobreviver sozinho”.

 

Vale ressaltar que todos os profissionais que levam Fred para casa após o expediente, possuem autorização especial para tal expedida pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

 

 

A espécie

 

O bugio-preto ou bugio-do-pantanal (nome científico: Alouatta caraya) é uma espécie de primata que habita florestas tropicais e savanas do sudoeste e centro do Brasil, nordeste da Argentina, leste da Bolívia e do Paraguai e, provavelmente, do extremo noroeste do Uruguai. Na natureza chegam a viver 20 anos e podem pesar até 10 quilos. O desmame acontece por volta dos 18 meses, quando passar a se alimentar de frutas e folhas.