Alencar cobra explicações sobre desabamento no Rodoanel

0
646

 

Autoridades de Guarulhos realizaram ontem uma vistoria nas imediações do túnel do trecho Norte do Rodoanel que desabou no último final de semana. “A obra é de responsabilidade do Estado, mas aconteceu dentro do nosso município e a prefeitura não foi avisada. O objetivo é receber informações sobre as medidas tomadas porque vamos acompanhar de perto essa questão”, destacou o deputado estadual, Alencar Santana que organizou a visita ao canteiro de obras.

Estiveram presentes os secretários de Meio Ambiente, Henrique Zanetta, e de Transportes e Trânsito, Atílio André Pereira; a coordenadora da Defesa Civil, Margaret Martins; vereador Laércio Pereira (PT) e representantes das secretarias de Obras, Serviços Públicos e Desenvolvimento Urbano. “Quando isso acontece o nosso trabalho é interditar o local, mas não fomos informados sobre o acontecido”, afirmou Margaret.

desabamento-rodoanel-guarulhos

Eles foram recebidos por engenheiros da empresa Construcap/Copasa, responsável pelas obras do túnel, e da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) que explicaram que aguardam a conclusão do laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), que identificará as causas e eventuais responsabilidades pelo ocorrido. No entanto, ainda não há uma data exata para a divulgação do laudo técnico e nem previsão da retomada das obras hoje interditadas. O túnel estava sendo escavado desde março deste ano numa área de morro. De acordo com os engenheiros, o que cedeu foi o talude ocasionando o fechamento da entrada do túnel.

“Agora estou convocando o presidente da Dersa, Laurence Casagrande, para dar maiores explicações na comissão de Infraestrutura da Assembleia, porque queremos entender se houve erro ou omissão que possa gerar um dano maior”, afirmou Alencar que preside a comissão.

 

Acidente

 

O acidente ocorreu numa área de morro e levou à paralisação do lote número 5 das intervenções. No local os trabalhadores realizavam a perfuração da parte superficial do solo, considerada a mais difícil devido a instabilidade do terreno. Com a oscilação parte do talude superior também cedeu. No total, dos 1.010 metros de extensão previstos, tinham sido escavados 140 metros.

 

Fonte: Guarulhos Hoje