Alckmin entrega série de reinvidicações à Dilma

0
450

 

O governador Geraldo Alckmin se reuniu ontem, em Brasília, com a presidente Dilma Rousseff e entregou uma série de reinvidicações, entre elas a liberação de recursos para acelerar as obras da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitano), que inclui a implantação da Linha 13–Jade, que trará o trem até Guarulhos. Serão investidos R$ 250 milhões na obra, que foram iniciadas em outubro de 2013 e ligará a Estação Engenheiro Goulart, na Zona Leste, às futuras estações Parque Cecap e Aeroporto de Guarulhos.

Faz parte também da reivindicação do governador a extensão da Linha 9 – Esmeralda, no trecho Grajaú e Varginha, que está em andamento e o Governo do Estado já comprometeu, até agosto, R$ 129,6 milhões em desapropriações. Devido a não assinatura do Termo de Compromisso, o estado precisou liberar mais R$ 30 milhões, para dar continuidade ao projeto.

dilma-e-alckmin

Também foi solicitada à presidente Dilma a liberação de R$ 590 milhões para a reforma e modernização de 18 estações da CPTM, e para a implantação do terminal em Franco da Rocha. O repasse do recurso é importante para o prosseguimento dos processos licitatórios, já que está pendente a homologação das licitações de quatro estações, bem como a continuidade dos demais certames.

Todos os projetos reivindicados e entregues por Geraldo Alckmin já estão em andamento pela CPTM e foram selecionados no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), por meio do Ministério das Cidades.

 

Governador pede R$ 3,5 bi para crise de água no estado de São Paulo

 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), apresentou à presidente Dilma Rousseff, nesta segunda-feira (10), um plano para a realização de oito obras de infraestrutura, ao custo de R$ 3,5 bilhões, para minimizar o problema de abastecimento hídrico no estado. No entanto, na avaliação do governo, as obras não resolverão o problema à curto prazo.

Em uma reunião que durou cerca de uma hora no Palácio do Planalto, Alckmin apresentou as linhas gerais das oito obras que pretende implementar no estado nos próximos anos. No entanto, de acordo com a ministra Miriam Belchior (Planejamento), que acompanhou a reunião, faltou um detalhamento maior sobre como elas seriam executadas.

Segundo Miriam, Dilma pediu para que o governador detalhasse cada uma das obras indicando, inclusive, quantas pessoas seriam beneficiadas com cada uma delas. Um grupo de trabalho foi criado entre a União e o estado para continuar discutindo a questão. O grupo se reúne na próxima segunda (17).

Alckmin afirmou que qualquer valor que o governo federal puder contribuir será bem-vindo.

“O governo de São Paulo precisará do máximo que [o governo federal] puder. Pode ser recurso a fundo perdido, do Orçamento Geral da União, ou pode ser financiamento,” disse.

 

Fonte: Guarulhos Hoje